Logo

Esse tratamento foi desenvolvido a partir da junção de algumas técnicas muito eficazes quando utilizadas individualmente.

Uma das técnicas é o Toque Magnético, que uni a energia das mãos, já comprovada no século XVI pelo médico Mesmer, com o magnetismo do planeta aliviando a dor física.

A outra técnica que usamos é a energia taquiônica, já muito estudada e encontrada na Pirâmide de Saqqaranas do antigo Egito. Essa é uma energia potentíssima, que transmite informação, e que é 27 vezes mais rápida que a velocidade da luz, eliminando as fronteiras do tempo e espaço, podendo então receber e enviar informações de vidas passadas e de diferentes dimensões.

Trata-se de energia quintessenciada, ou seja, de quinta dimensão onde vibra o nosso mental superior ou corpo de luz.

A energia Taquiônica ou campos taquiônicos foi descrita pela primeira vez pelo físico alemão Arnold Sommerfeld e mais tarde, na década de 1960 com estudos avançados e bases teóricas feitas por George Sudarshan, Olexa-Myron Bilaniuk, Vijay Deshpande e Gerald Feinberg. Campos taquiônicos aparecem em vários contextos, tal como na Teoria das Cordas.

A terceira técnica é a Apometria, que consiste no trabalho espiritual. Na TERAPIA TAQUIÔNICA, utilizamos somente as técnicas de pulso magnético e desdobramento e nao o trabalho de desobssessao espiritual em que consiste a Apometria.

Todas essas técnicas eram trabalhadas separadamente, mas com muito estudo no campo da física quântica e orientação dos mentores espirituais a técnica foi se aperfeiçoando, surgindo a Terapia Quântica

A TERAPIA TAQUIÔNICA é uma técnica fantástica para doenças emocionais e físicas, pois através da energia das mãos conseguimos captar a dor. Com a energia taquiônica podemos identificar a causa, onde ela esta instalada no corpo (mental, emocional ou duplo etérico), corrigir o registro de memoria que causa a dor e reprogramar com seu programa de vida. Depois de tratado, a energia é reintegrada ao assistido, trazendo uma vibração adequada para que as células voltem a funcionar normalmente.

ME DÁ UM ALÔ!

Deixe sua dúvida ou comentário!